quinta-feira, 29 de novembro de 2007



Poesia

A ti Poesia que sabe de mim, o que eu ainda não sei...

Permaneces

Nas curvas e retas das minhas mãos
Audaz a percorrer meus caminhos
Linhas da vida, onde pulsas em versos
Escrevendo-me nua em emoções

Permaneces

Na paisagem dos meus olhos
Em romântica e lírica vigília
A derramar-se em estrelas multicores
Refulgindo as rimas do meu coração

Permaneces

No mistério dos meus lábios
Sussurrando-me em reticências e interrogações
Despertando as letras que dormitam
No labirinto da minha inspiração

Permaneces

Na minha voz que se ilumina
Quando apenas teu nome dedilham
E afinas com maestria e harmonia singulares
Os sons que tocam a aurora dos meus sentidos

Permaneces

Nas pétalas orvalhadas dos meus sonhos
A acalentar os jardins suspensos da minha alma
Desabrochando palavras nunca lidas
Que florescem em minhas estações


(Fernanda Guimarães)

Um comentário:

  1. Belissima imagem. tambem belo o poema
    Saudações amigas com um beijo, Boa semana que agora se inicia

    ResponderExcluir

"Um dos milagres da minha vida
é simplesmente ter conhecido você!"
Obrigada pelo carinho...
Beijosss...